Saiba como evitar defeitos no carro provocados pelos congestionamentos

Saiba como evitar defeitos mecânicos provocados por congestionamentos

Ainda em meio à pandemia do novo coronavírus, mas com a flexibilização do comércio e de serviços ocorrendo nas principais cidades brasileiras, o trânsito voltou a ficar complicado, retornando quase que à normalidade caótica que todos nós estamos habituados. Além de elevar o cansaço físico e mental, os congestionamentos também podem provocar defeitos mecânicos nos veículos, devido ao desgaste excessivo de peças e sistemas primordiais. Por isso, vale saber o que pode acontecer com o carro nessa condição e quais dicas podem ajudar a amenizar ou evitar os problemas.

Os freios e os pneus estão entre os itens que mais sofrem com o trânsito “agarrado”, de acordo com Gerson Burin, coordenador do Centro de Experimentação e Segurança Viária – instituição localizada em São Paulo e que possui um setor dedicado ao estudo da reparação automotiva. Para ele, o melhor a fazer para poupar essas peças durante os congestionamentos é evitar acelerações e frenagens bruscas. Isso também ajuda a economizar combustível, segundo Burin, em entrevista para o site da revista Auto Esporte.

A embreagem é outro componente que pode se desgastar mais facilmente nos congestionamentos. Logo, segundo Gerson Burin, o ideal é evitar um hábito comum: acelerar fundo e ir tirando o pé do pedal da embreagem devagar, pois há atrito excessivo e desnecessário de peças. Vale lembrar que isso só vale para os carros com transmissão manual, já que, nos automáticos, o motorista não precisa acionar esse sistema.

Outro erro que causa desgaste precoce da embreagem, sobretudo no trânsito pesado, é repousar o pé sobre o respectivo pedal, conforme alerta Márcio Azuma, membro da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, também em entrevista à Auto Esporte.

Os especialistas ouvidos pela publicação do Grupo Globo dão ainda outras dicas para evitar defeitos mecânicos. Confira:

  • Não desligar e religar o veículo a todo momento, já que isso pode provocar problemas na bateria e no motor de partida
  • Não girar o volante com o carro parado. Neste caso há sobrecarga no sistema de direção
  • No caso dos veículos automáticos, não acionar a posição N sempre que o trânsito parar, pois mudar constantemente de N (neutro) para D (drive) desgasta o câmbio desnecessariamente
  • Fazer manutenção preventiva, com atenção especial ao sistema de arrefecimento (resfriamento do motor). A baixa velocidade faz com que o veículo não receba ar adequadamente através da grade frontal, deixando a refrigeração a cargo somente da ventoinha. Se essa peça não estiver funcionando corretamente, a temperatura do motor pode tornar-se incontrolável, causando superaquecimento. Com isso, o carro vai parar de funcionar e o prejuízo com a manutenção corretiva pode ser grande

Gostou do nosso conteúdo? Já produzimos outro para você gastar menos com combustível. É só clicar aqui e acessar!