Como saber se um carro usado está com a quilometragem adulterada?

Saiba como identificar se o carro teve o hodômetro adulterado

Comprar um carro usado ou seminovo é um ótimo negócio, principalmente para quem busca equilibrar a relação custo-benefício. No mercado, existem muitos modelos à venda que são super completos. Estão em excelente estado de conservação e possuem preço justo, cuja compra pode ser bem mais vantajosa que um 0 km.

Entretanto, na hora de escolher um veículo usado é preciso avaliar além da pintura, lataria, e estado do motor. Isso porque, lamentavelmente, ainda existem pessoas mal-intencionadas que adulteram a quilometragem real do carro para que ele pareça menos “rodado” do que de fato é.

A boa notícia é que existem diversas formas de descobrir indícios de que isso ocorreu. Veja, abaixo, algumas dicas que foram publicadas pelo site especializado Auto Esporte, do Grupo Globo.

(Vale ressaltar que, na Dale Multimarcas, todos os veículos à venda passam por vistoria técnica previamente, onde é possível identificar diversos tipos de irregularidade. Isso garante a qualidade e a procedência dos nossos veículos).

  • Manual do proprietário

De acordo com Reinaldo Hagge, diretor comercial da empresa de vistorias Dekra, o manual é o primeiro item a ser verificado. “Caso as revisões não tenham sido realizadas na concessionária [ou não estejam registradas no manual] solicite as notas fiscais com o histórico da realização dos serviços, como troca de óleo”, explica o especialista ao Auto Esporte. Desse modo, é possível verificar qual foi a quilometragem registrada nas manutenções e compará-la com o que consta no hodômetro atualmente.

  • Histórico

Se o carro já passou por vistorias anteriormente, existe um histórico online. Ter esse relatório é fundamental porque consegue-se comparar se as datas e as manutenções realizadas estão de acordo com o estado do carro. De acordo com o Auto Esporte, é possível obter o histórico do veículo em empresas especializadas por menos de R$ 40.

  • Situação dos pneus

Reinaldo Hagge explica ao site da Globo que, bem conservados, os pneus podem durar até 60 mil km. Sendo assim, é possível validar a data de fabricação desses itens, verificando se são os mesmos pneus de quando o carro foi comprado 0 km. Ou seja, se o hodômetro do veículo registrar menos que 60 mil km percorridos e os pneus forem novos, é motivo para desconfiar.

  • Desgaste de itens internos

O gerente comercial da Dekra destaca, na entrevista ao Auto Esporte, que volante, pedais e alavanca de câmbio ficam lisos após muito tempo de uso (Acima de 70 mil km), e os bancos podem apresentar perda de densidade da espuma. Por isso, vale ficar atento ao estado desses itens e verificar se estão de acordo com o hodômetro.

  • Leve o carro até um mecânico, ou o profissional até a loja

Pedro Luiz Scopino, diretor do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos do Estado de São Paulo, também ouvido pelo site do Grupo Globo, reforça a importância de consultar um mecânico de confiança antes de realizar a compra. Segundo ele, um bom profissional é capaz de realizar testes comprobatórios de quilometragem, tanto na oficina – com equipamento eletrônico de diagnóstico -, quanto ao circular com o veículo pelas ruas.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe!