Posso colocar somente água no radiador?

Antigamente, era muito comum motoristas guardarem uma garrafa de água no porta-malas para colocar no radiador do carro, ou seja, no sistema de arrefecimento do motor. A ideia era resfriar o sistema evitando problemas mais graves. Com a evolução da mecânica, esse procedimento não é mais recomendado.

Atualmente, todos os fabricantes de veículos alertam, no manual do proprietário, que somente deve-se utilizar água no radiador em caso de emergências. Isso só vale até que o motorista encontre uma oficina ou local seguro para parar e aguardar um guincho. O correto é ter circulando no sistema de arrefecimento o chamado aditivo de radiador ou fluido de arrefecimento, que são produtos à base de uma substância chamada monoetilenoglicol.

Risco de usar água no radiador extrapola o superaquecimento

De acordo com a Delphi, uma das principais fabricantes de radiadores, entre outros componentes automotivos, a atitude pode provocar problemas em todos os lugares do sistema. Exemplo? Corrosão de mangueiras e partes de alumínio, danos ao radiador, bomba d’água, válvula termostática, e uma das consequências que mais pode pesar no bolso: desgaste do cabeçote, cuja troca ou manutenção pode facilmente superar R$ 2 mil, em alguns casos.

Até mesmo a utilização de aditivos ou fluidos de arrefecimento requer cuidado. O proprietário deve estar atento, primeiramente, ao que diz o manual do fabricante, pois lá está indicado quais devem ser as especificações desse produto.

Alguns, por exemplo, vêm concentrados, e devem ser diluídos em água desmineralizada antes de serem adicionados ao reservatório. Já outros se encontram prontos para uso. Na dúvida, o melhor é recorrer à oficina de sua confiança para esse tipo de manutenção, já que pode ser necessário realizar sangria e limpeza total do sistema em vez de somente completar o nível do reservatório.

Gostou deste conteúdo? Confira o nosso texto sobre a forma correta de transportar crianças no carro.